Bebê tem braço dilacerado após ser atacado por jacaré

Mesmo com todas tentativas para reconstruir o antebraço da criança, foi necessário amputar em cirurgia para não comprometer a vida dele.

9739
Samu transportou o bebê até o helicóptero em Uruaçu que o levou ao Hugol.

Apesar dos esforços dos médicos, equipes do Samu, Saúde, familiares, lideranças políticas e socorristas aéreo não foi possível reconstruir o antebraço do bebê de um ano e oito meses que foi atacado por um jacaré às margens da Lagoa Grande de Porangatu.

O fato aconteceu na manhã de hoje, quarta-feira (23), enquanto o garoto passeava no local com a babá. Foi ela quem conseguiu resgatá-lo, uma vez que o animal tentava arrastá-lo para dentro da água. Ao ouvir os gritos, a mãe do garoto e os familiares saíram de dentro da casa no Setor do Lago e viram o bebê ensanguentado no colo da babá.

Após os primeiros socorros no Hospital Municipal de Porangatu, o menino foi transportado pela ambulância do Samu até Uruaçu e onde um helicóptero dos Bombeiros o conduziu até o Hospital Estadual de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol). Foi constatado fratura, a perda da metade do antebraço e falta de vascularização.

Em nota enviada à imprensa a Prefeitura de Porangatu solidarizou com a família reforçando que todos os procedimentos em relação ao atendimento médico foram feitos para garantir a saúde do paciente, inclusive solicitando transporte aéreo do corpo de bombeiros por intermédio da primeira dama do estado, Gracinha Caiado. Foi disponibilizado o helicóptero que atua nas buscas à Lázaro Barbosa.

Posteriormente, foi emitido nota técnica especificando que, embora a espécie não apresente riscos aos humanos, é importante tomar cuidados de afastamento dos animais. Também informou que placas informativas foram solicitadas em maio deste ano para notificar turistas sobre cuidados com o passeio no local.

O médico veterinário Sebastião Júnior explicou que o jacaré pode atacar quando está chocando, para se alimentar e também para se defender. Em Porangatu, ele já atendeu seis casos de cachorros que foram mordidos por jacaré e três mordidos por capivaras. “Quando a fêmea está chocando, ela fica com os hormônios exacerbados e ataca para proteger os ovos e os filhotes. É necessário uma cerca de contenção ou a remoção desses animais e em casos mais extremos até o abate para evitar mais acidentes”, pontuou o veterinário.

ATENÇÃO: Projeto de Lei do Senado n° 79, de 2018 altera o Código Penal, para estabelecer que é crime fotografar ou divulgar imagem de pessoas acidentadas ou em situação vexatória, sem a sua autorização ou fora de contexto jornalístico.

Atualização: 23:09

5 COMENTÁRIOS

  1. Porangatu tem prefeito?
    Lá é uma cidade com pessoas, lojas, ou uma mata selvagem?
    Um zoológico sem segurança?
    É preciso que tenha um prefeito que transporte esses bichos para o lugar deles, ou quem sabe, para o quintal da prefeitura?

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui