Chuvas agravam problemas crônicos de buracos em Porangatu

Além dos buracos, outros problemas agravados são as condições das pontes e estradas na zona rural.

746

As constantes e intensas chuvas dos últimos dias de fevereiro e início de março aliadas às massas asfálticas antigas ou de má qualidade, tem trazido transtornos tanto para a população quanto para a atual gestão que quando o tempo estia coloca as máquinas nas ruas para garantir a acessibilidade e segurança aos usuários.

Os problemas estão tanto nos bairros quanto na área central da cidade, mas também afetam os moradores da zona rural, seja nas estradas ou nas pontes. Constantemente, o Portal SR recebe imagens e reclamações mostrando as situações como as de motociclistas que caíram devido aos buracos ou ainda ironizando, plantando bananeiras em alguns pontos. A situação também foi registrada por um digital influencer da cidade.

Buracos trazem transtornos à população e à gestão. Foto: Reprodução

Em contrapartida, as equipes têm realizado as manutenções possíveis assim que a chuva cessa, mas o período de estiagem tem sido curto. Entre as reclamações que recebemos, moradores da Rua Violeta mostraram uma camionete que ficou atolada e de motociclistas, caíram em buracos, uma frente a Secretaria de Assistência Social e outras duas, Edilene e Márcia Helena, em frente a um posto de combustíveis, próximo a rodoviária (avenida paralela a “Federal”) e tiveram lesões como fratura do dedo do pé e torsões.

Nós encaminhamos ao conhecimento da gestão, através da Secretaria de Comunicação que informou que com relação ao atoleiro no setor Bom Sucesso, o presidente da Agência Municipal de Trânsito, Pedro Augusto, enviará uma equipe para sinalizar o local e quanto aos buracos a equipe de Transporte e Obras irá fazer os reparos, assim que possível.

O secretário de Transportes e Obras, Romilton Pereira, reforça que a vontade de atender toda a demanda é grande, mas não há como literalmente “lutar contra o tempo” (chuvas) e o que é possível neste momento é fazer algum trabalho paliativo.

“Pedimos mais um pouco de paciência da população porque dependemos dessa condição climática para resolver o problema, com responsabilidade com o dinheiro público. Sabemos que muitos casos dependem do asfalto ou do recapeamento e a prefeita também está buscando recursos para isso porque queremos o melhor para Porangatu”, explicou Romilton.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui