Corpo devorado por jacaré pode ser de pescador que está desaparecido

472

Após a repercussão da divulgação de que o corpo de um homem foi encontrado boiando no Rio Araguaia e que em seguida, foi devorado por um jacaré, levou a filha de um pescador que está desaparecido na região a procurar a Polícia Técnica Científica para coletar material de DNA para fazer o confronto com os renascentes mortais da vítima.

O caso aconteceu no dia 26 de novembro, no porto de Luiz Alves, em São Miguel do Araguaia, no noroeste goiano. A filha desse pescador teria reconhecido duas tatuagens, mas a confirmação se dará com o exame de DNA que deve ser liberado nos próximos dias.

O corpo já estava em estado de decomposição quando moradores o encontraram boiando no Rio. No vídeo divulgado nas redes sociais é possível ver o corpo sobre as águas. Porém, após moradores acionarem as equipes da Polícia Militar (PM) e dos Bombeiros, o corpo foi devorado por um jacaré, restando somente a cabeça e outros restos mortais.

Os bombeiros foram acionados às 15h30 e chegaram no local às 16h45. Segundo ele, o jacaré estava em cerca de quatro metros próximo dos restos mortais. Agentes do Núcleo da Polícia Técnica Científica de Porangatu foram acionados e, após seus trabalhos, os restos mortais foram encaminhados para a Polícia Técnica Científica em Goiânia.

No momento, a suspeita é que o homem tenha sido vítima de afogamento, pois não havia indícios de marcas de homicídio nos restos mortais analisados.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui