Família pede justiça com prisão de marido que matou, queimou e escondeu corpo da mulher

O único suspeito do crime de feminicídio e ocultação do cadáver de Vanessa de 31 anos é o marido: Miguel Bento Fraga Filho de 61 anos que está foragido.

3532
Confira entrevista com a família, delegado e Polícia Técnica Científica.

O corpo da vendedora, Vanessa Rodrigues da Silva, de 31 anos, mãe de dois filhos de 11 e 5 anos, foi encontrado carbonizado dentro de dois sacos tipo ráfia (sacaria) em uma grota dentro do terreno da fazenda do casal em Novo Planalto, há 50 km de Porangatu, norte de Goiás, na tarde desta sexta-feira (27).

Vanessa estava desaparecida desde a madrugada do adia 11 para 12 de agosto, depois que vizinhos ouviram a discussão do casal que moravam no Setor Santa Luzia em Porangatu. O corpo foi encontrado durante uma das buscas realizadas pela Polícia Civil na fazenda no município vizinho.

O único suspeito do desaparecimento da própria esposa, Miguel Bento Fraga Filho, está foragido desde o dia 17 de agosto (terça-feira) quando sua prisão temporária havia sido decretada. Já a última notícia de Vanessa foi na noite de quinta-feira (12), quando vizinhos afirmaram ter ouvido uma discussão entre o casal.

Ele chegou a ser preso, depois que a irmã de Vanessa, Genilva Rodrigues da Silva, procurou a polícia civil no dia 16 (segunda-feira) por desconfiar do sumiço da irmã e da justificativa que Miguel passou a ela de que Vanessa teria viajado e deixado os filhos com ele.

O corpo carbonizado estava dentro de uma saco de plástico em uma grota na fazenda do casal. Foto: Reprodução.

O casal vivia juntos há aproximadamente 15 anos e o relacionamento era conturbado pelo ciúmes de Miguel Bento Fraga Filho. Segundo os familiares, mesmo morando na mesma casa, o casal dormia em quartos diferentes e que Miguel era agressivo e já teria ameaçado e agredido Vanessa em outras situações.

O delegado responsável pelo caso, Luciano Santos, da Deam e equipes vistoriaram a casa do casal e a fazenda em Novo Planalto e encontrou diversas munições dos calibres 22 e 36. Na fazenda foi localizada uma arma de fogo do tipo espingarda, do calibre .36, e ainda outras diversas munições dos calibres 36 e 32.

Diante dos fatos, o Miguel foi encaminhado à delegacia, onde foi autuado em flagrante delito pelo crime de posse irregular de munições e arma de fogo, previsto no Art. 12, da Lei n° 10.826/2003 (Estatuto do Desarmamento). Por se tratar de crime afiançável, foi estipulado o valor de R$ 4.500 que foi pago por ele, sendo liberado em seguida, conforme determina a Lei.

O delegado solicitou a prisão temporária de Miguel, que saiu no dia seguinte, mas ele já tinha fugido. A equipe do Núcleo da Polícia Técnico Científica (NPTC) também foi acionada e colheu vestígios na fazenda, na residência e nos veículos de Vanessa e de Miguel, inclusive utilizando um reagente específico chamado Blue Star que consegue mostrar o lugar onde teria sangue humano, mesmo se o local tiver sido lavado.

Em outros momentos de buscas, a Polícia Civil contou com o apoio da Polícia Militar, dos bombeiros e de cães farejadores.  Os familiares e amigos também realizaram buscas. Quem tiver qualquer informação que leve ao paradeiro de Miguel Bento Fraga Filho informe às polícias.

Miguel Bento Fraga Filho, o Miguelzinho, concorreu as eleições de Novo Planalto em pelo menos três oportunidades e chegou a ser eleito com 159 votos, sendo o segundo vereador mais votado da cidade, em 2004.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui