Lobo Guará é capturado no Centro de Porangatu

Ele ainda existe no Brasil e luta para sobreviver. A degradação ambiental continua a ameaçá-lo, bem como a caça ilegal.

1160

Algumas pessoas que nunca viram um lobo-guará nem uma nota de R$ 200 reais, tiveram a oportunidade de vê-lo correndo pelas ruas no Centro de Porangatu, na noite desta sexta-feira (14). A situação inusitada atraiu a atenção de muita gente e também provocou medo.

Militares do 11º Batalhão dos Bombeiros de Porangatu (11º BBM) foram acionados via 193 e se deslocaram rapidamente para garantir a segurança do animal silvestre e também das pessoas, evitando inclusive acidentes.

Ele foi capturado dentro da Agência Municipal de Trânsito (AMTT) de Porangatu, antigo prédio do Tiro de Guerra, na principal avenida comercial da cidade, a Federal (Deolino Franco de Souza). Segundo os bombeiros, esse é o segundo caso registrado nos últimos anos.

O animal estava muito arredio e também assustado, mas estava saudável e foi devolvido pela equipe dos bombeiros ao seu habitat natural em uma reserva na saída do povoado do Estreito. Para sua captura é utilizado o pau-de-lobo (um bastão com um laço na ponta e um gaiola.

O animal foi devolvido à seu habitat natural em uma reserva. Imagens: Reprodução

De acordo com o médico veterinário, Sebastião Júnior, os lobos-guará preferem se esconder e fugir à atacar as pessoas. “Eles rosnam e se retrai e quando são acuados ameaçam avançar e podem a até atacar se não houver saída ou para proteger seus filhotes.

Ainda de acordo com Sebastião, apesar do nome Lobo-guará ele não é lobo e sim uma espécie de cachorro do mato. Seu grau de parentesco com os canídeos lupinos se estende até a família Canidae. A partir daí, o gênero muda (o lobo é do gênero Canis e o guará é pertence ao Chrysocyon).

“Na questão genética, por exemplo, o cruzamento entre guará e lobo não produziria filhotes. Mas, se um cachorro (Canis familiaris) acasalar com um lobo (Canis lupus), nascerão filhotes – tanto o cão como o lobo pertencem ao mesmo gênero”, explicou. Enquanto os lobos vivem em matilhas e mantêm relações sociais complexas entre si, os guará vivem sozinhos até a época de acasalamento.

Ameaçado de Extinção

O lobo-guará habitava o leste da Bolívia, o norte da Argentina, o Paraguai e a região Centro-Oeste do Brasil. Devido à caça predatória e a destruição progressiva de seu habitat natural, o canídeo mais alto do mundo está extinto nas três primeiras regiões citadas. Ele ainda existe no Brasil e luta para sobreviver. A degradação ambiental continua a ameaçá-lo, bem como a caça ilegal. As previsões são de que nosso “lobo” deixe de existir em menos de 100 anos.

O lobo-guará (Chrysocyon brachyurus) é o maior e mais belo canídeo selvagem brasileiro e o mais alto do mundo. Última espécie de seu gênero, a dieta dos lobos-guará divide-se em 50% de animais e 50% de frutos. Dos animais predados por eles, apenas 1,9% correspondem aos galináceos, se alimentando também de cobras, tatus e principalmente ratos.

Isso comprova sua importância no controle populacional desses animais e para a saúde humana. Além disso, o Chrysocyon brachyurus é um importante dispersor das sementes dos frutos típicos do Cerrado. (Fonte: Uol Educação)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui