Peixes estão morrendo em rios do Norte e Goiás e sul do Tocantins

930

Moradores de Porangatu tem registrado nos últimos dias, em fotos e vídeos, peixes mortos no Rio Cana Brava. Além de Porangatu, o fato também foi registrado no Rio Pau Seco, entre Araguaçu (TO) e Talismã (TO). O rio nasce em São Miguel do Araguaia (GO) e desagua no rio Formoso, no sul do Tocantins. Há ainda relatos também de mortandade de peixes no Rio Crixás-Mirim, em Crixás.

Enviamos as imagens e informações para o WhatsApp de Plantão da 5º Companhia Ambiental, bem como o contato da moradora Joana Darc, uma das que registraram as imagens, mas até o momento ninguém entrou em contato com ela. Joana acredita que tenham jogado algum produto químico na água que mudou a coloração para a cor escura.

Em Talismã, foram constatadas mortes de animais em quase todos os rios e lagos do município, com exceção do rio Santa Teresa. A Secretaria Municipal de Meio Ambiente e a Defesa Civil emitiu nota recomendando que as pessoas não peguem e nem consumam peixes que estão morrendo por falta de oxigênio na água, nos rios e lagos.

O coordenador da Defesa Civil, João Carlos, explicou que a principal hipótese para o problema é o PH da água que está muito alto. “Neste ano tivemos muita chuva e o rio ficou cheio por muito tempo e com isso surgiram muitos peixes provenientes de rios maiores. Com o nível mais baixo agora na estiagem ele não estão conseguindo produzir oxigênio necessário pra segurar esse tanto de peixe com vida”.

Neste sábado (18), representantes da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e a Defesa Civil de Talismã e da Naturantins percorreram pontos onde tinham peixes mortos e notaram que os peixes já estão descendo mortos e acreditam que seja devido a desoxigenação da água. Devido a ter muito peixes que subiram pra cabeceira, muitas represas foram rebentadas e houve superpopulação de peixe. Os peixes morrem nos córregos pequenos e passam pro Cana Brava.

“Essas imagens são da fazenda São Judas Tadeu, fazenda São Vicente e da ponte do Rio Cana Brava. O técnico virá colher amostra dessa água da região para confirmar ou não a questão desses peixes e estamos aguardando o laudo do Pau Seco”, explicou João Carlos.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui