Polícia Civil fecha consultório clandestino de oftalmologia

Os envolvidos foram autuados no crime de exercício ilegal da medicina e todo o material utilizado no crime foi apreendido e encaminhado ao Poder Judiciário

709

A ação rápida da equipe da 12ª Delegacia Regional da Polícia Civil de Porangatu nesta quinta-feira (11), impediu que mais pessoas fossem lesadas e/ou tivessem graves consequências para a saúde dos olhos.

Após denúncia anônima que estava em funcionamento um possível consultório oftalmológico clandestino instalado nesta cidade, a equipe empenhou em diligências e descobriu que o “consultório” funcionava em uma casa com condições precárias.

Ao chegar ao local, a equipe se deparou com um falso médico (técnico em optometria) que realizava exames “gratuitos” e prescrevia lentes oculares, além de outras cinco pessoas que seriam responsáveis por captar clientes e vender á eles, lentes e armações. O grupo estava em Porangatu há quatro dias e são do Ceará.

Denuncie

Diante dos fatos, os indivíduos foram autuados no crime de exercício ilegal da medicina e todo o material utilizado no crime foi apreendido e encaminhado ao Poder Judiciário. A Polícia Civil de Porangatu reforça que a prática da venda casada a cada dia se torna mais comum, mas na verdade ela é clandestina, pois é um tipo de coação.

As vendas casadas são proibidas pelo Código de Defesa do Consumidor e o Procon (Procuradoria do Consumidor) pede que essa prática seja denunciada. Além disso, o Conselho Brasileiro de Oftalmologia não recomenda a prescrição de óculos ou lentes de contato por parte desses profissionais. O optometrista pode confeccionar, vender e comercializar lentes de refração, mas não podem fazer consultas, exames e receitar óculos.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui