Políticos são presos e servidores afastados por fura-fila de cirurgias plásticas na rede pública

339

Um vereador de São Miguel do Araguaia está entre os que foram presos hoje, quinta-feira (09), durante operação da Polícia Civil. Além dele, e do ex-prefeito de Teresina de Goiás mais duas pessoas foram presas.

Segundo a investigação eles recebiam até R$ 5 mil de pacientes para serem inseridos e furar a fila de cirurgias, principalmente plásticas como abdominoplastia e mamoplastia e outras cirurgias eletivas, consultas médicas, exames e internações também eram fraudados, na rede pública de Goiás.

Eles intermediavam junto a um operador do sistema nos procedimentos que não eram considerados urgentes e que demorariam até dois anos foram autorizados e feitos em poucos meses.

O delegado responsável pelo caso, Danilo Victor Nunes, detalhou que alguns dos presos não eram servidores do sistema de regulação médica e tinham logins e senhas do sistema. Uma das pessoas que foi presa durante a operação, tinha 15 perfis e inseriu 1.902 pessoas na fila nos últimos seis meses.

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde, as fraudes aconteciam pelo menos desde 2020 e mais de 15 mil pessoas aguardam por uma cirurgia eletiva. Eles responderão por corrupção passiva, inserção de dados falsos em sistema de informação e associação criminosa.

Também foram cumpridos mandados de busca e apreensão e afastamento de funções públicas de servidores do Complexo Regulador Estadual ou que exerciam funções públicas nas unidades de saúde dos municípios das cidades de Goiânia, Goianira, Anápolis, Damolândia, São Miguel do Araguaia e Teresina de Goiás.

Nunes afirmou que na maioria dos casos para aprovação dos procedimentos estéticos era utilizado uma justificativa médica falsa considerada urgência/emergência sendo que a pessoa não sofreu nenhum tipo de câncer ou doença.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui