Prefeitura emite nota sobre apropriação indevida de tijolinhos de obra pública em Porangatu

626

Em cumprimento a determinação do Ministério Público de Goiás, expedido pelo promotor de Justiça Rafael Correia Costa, a equipe da Polícia Militar de Formoso, saiu em patrulhamento para localizar um material (tijolinhos) que havia sido subtraído por terceiros da orla da Lagoa Grande.

O material foi localizado em uma fazenda as margens da GO-241, km 325, na manhã desta quinta-feira (05). O secretário municipal de Meio Ambiente de Formoso Goiás, Rafael Ribeiro Santana, proprietário do local, foi abordado e conduzido para delegacia de Porangatu.

Ele informou em depoimento a Polícia Civil que na noite de terça-feira (03), estava em um bar em Formoso e conheceu um engenheiro, identificado pelo nome de Alessandro que informou que trabalha em obras de asfalto e que também na obra que está em andamento na orla da Lagoa Grande de Porangatu.

Ainda segundo o depoimento, Alessandro teria oferecido gratuitamente o material e que ele pagaria apenas o frete, no valor de 1.000,00 (mil reais). Rafael afirmou em depoimento que não teria pago o frete cobrado, porque estava pensando em devolver o material, pois já teria boatos de que ele poderia ter problemas com essa situação.

O caso está sendo investigado e os envolvidos poderão responder pelo crime de furto ou peculato.

A Prefeitura de Porangatu emitiu nota de esclarecimento sobre o caso. Leia na íntegra.

*NOTA DE ESCLARECIMENTO*

A Prefeitura de Porangatu, através de sua Assessoria Jurídica, informa que após tomar conhecimento da investigação, que conforme Boletim de Ocorrência registrado na Polícia Civil, apura a conduta de Rafael Ribeiro de Santana da cidade de Formoso e do engenheiro Alessandro, da empresa terceirizada responsável pela obra.

Segundo a declaração prestada a Polícia Civil, os dois citados estavam em um bar quando surgiu a conversa sobre os tijolinhos e Alessandro teria doado a ele e mandado levar até Formoso. As declarações prestadas a Polícia Civil, demonstram que o “Município” não tinha conhecimento desse fato.

Mas, assim que foi notificado, colocou a Assessoria Jurídica a disposição para acompanhar o caso e ajudar no que for preciso para elucidar e punir os responsáveis.

Informamos também que todos os materiais retirados durante a obra e que podem ser reaproveitados, devem ser destinados a área da Secretaria de Habitação ou de Transportes e Obras.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui