Quando a vacina chegará aos idosos?

Evidentemente, estamos trabalhando com escassez de doses da vacina. Quando a farinha é pouca os desonestos já gritam: meu pirão primeiro, o resto que se lasque.

297
Gerson Neto é jornalista, radialista, ambientalista e especialista em Planejamento Urbano e Ambiental.

Eu queria fazer o artigo dessa semana sem falar de política nacional ou estadual. Queria falar sobre nossa região, sobre Porangatu e sobre a chegada do importante portal da Sheilismar como mais um veículo de comunicação para contribuir com a pluralidade da informação no Norte Goiano.

Porangatu é uma cidade de pioneiros. Aqui tudo acontece antes e de forma grandiosa graças ao esforço de seu povo, que antecipa a evolução intelectual, artística, cultural e empresarial, dando saltos que seriam impossíveis sem esses esforços.

Por isso é importante abrir espaço e apoiar essas iniciativas. Fortalecer os veículos de comunicação é fortalecer a liberdade e a prosperidade. Eu mesmo estou colaborando neste espaço no portalsr como colaborador voluntário e torço muito para que a Sheillismar e toda a sua equipe consigam prosperar com esse trabalho. Há espaço para todos e todas, e aproveito para mandar um abraço para o pessoal da Rede Serra Azul com quem já trabalhei e colaborei também há alguns anos e também pra TV Anhanguera, a Rádio Tropical FM e ao Diário do Norte.

Mas peço licença do amigo leitor e da amiga leitora pra falar alguns poucos parágrafos sobre um tema que não pode ficar pra próxima semana: Os erros do governador Caiado na política de vacinação de Covid-19 em Goiás.

Evidentemente, estamos trabalhando com escassez de doses da vacina. Quando a farinha é pouca os desonestos já gritam: meu pirão primeiro, o resto que se lasque. As regras combinadas com o Ministério da Saúde e o Programa Nacional de Imunização diziam: primeiro profissionais de saúde da linha de frente de atendimento a doentes com Covid e idosos institucionalizados, isso quer dizer, vivendo em asilos. Definida a diretriz nosso governador saiu distribuindo doses de vacina sem critério e sem controle.

Eu gostaria de saber como doses foram parar na Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Goiás, onde o ex Deputado Federal Jovair Arantes foi se vacinar sem ter direito a isso, sendo que dentistas não trabalham na linha de frente de combate a covid? O deputado não trabalha como dentista há mais de 30 anos. Como a vacina chegou aos veterinários? Funcionários da administração dos hospitais foram vacinados.

Segundo o jornal O Popular de terça-feira passada, 27% das doses de vacinas foram aplicadas em pessoas com idade entre 30 e 39 anos e apenas 17% das doses foram aplicadas em pessoas com mais de 60 anos, como estamos carecas de saber, principais vítimas e os que mais ocupam os leitos de UTI pressionando o sistema de saúde. Mais de metade dos óbitos são de pessoas acima dos 70 anos. O que estava fazendo o governador Ronaldo Caiado, responsável direto pela política de vacinação em Goiás enquanto faziam essa farra com as poucas vacinas disponíveis para o Estado?

Me desculpem, a indignação é grande. Cada morte de idosos caberá de seus familiares uma reflexão: Por quê meu pai, meu tio ou meu avô ainda não foram vacinados pelo Governo de Goiás?

Agora, você deve estar se perguntando, o que se espera que Caiado faça? Caiado precisa assumir o controle do processo de vacinação. Montar um comitê de planejamento e execução. Temos dados do IMB e do IBGE, as vacinas podem ser entregues aos municípios já com a lista de quem será vacinado segundo regras estabelecidas. E claro, essas regras tem que vacinar primeiro as pessoas que mais morrem e que mais são internadas: idosos e portadores de comorbidades. Isso vai reduzir as mortes, economizar dinheiro da saúde e acelerar a nossa volta a uma vida livre e plena.

Por fim, ele deve que colocar a polícia pra investigar e indiciar os furadores de fila. São eles verdadeiros assassinos.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui