Quatro motociclistas morreram em acidentes neste fim de semana

676

Porangatu

O jovem Marcos Antônio de 22 anos, morreu após colidir a motocicleta que ele pilotava contra uma lixeira e um poste.

O acidente ocorreu neste sábado (22), no setor Jardim Europa, em Porangatu, norte de Goiás.

O socorro médico foi acionado, mas o rapaz que era habilitado, não resistiu aos ferimentos e faleceu no local do acidente.

Uma semana antes, outro jovem motociclista também havia falecido na cidade após colidir sua moto com um veículo em Porangatu.

Uruaçu

Na manhã desse domingo, 23, um mototaxita conhecido como “miúdo”, veio a óbito depois de sofrer um grave acidente que ocorreu na Avenida Galdino Moreira), no bairro São Vicente, em Uruaçu.

De acordo com as informações levantadas no local, o rapaz teria colidido frontalmente com uma árvore enquanto pilotava sua moto de trabalho.

O mesmo não usava equipamento de segurança “capacete” e veio a óbito ainda no local.

Niquelândia / Portal Excelência Notícias

Foram sepultados na tarde deste sábado/22 nos cemitérios de Niquelândia e de padre Bernardo, respectivamente, os corpos de Devair Borges de Freitas, de 47 anos e de Américo da Silva Antunes, de 54.

Eles morreram por volta das 18h35 do feriado da sexta-feira/21 num acidente ainda encoberto por causas misteriosas no início da rodovia go-237/rodovia da fé, saída para o povoado do Muquém, nas proximidades de uma revendedora de calcário.

O corpo de bombeiros de Niquelândia esteve no local, mas não houve qualquer possibilidade de socorro às vítimas fatais.

De acordo com a ocorrência apresentada pela base da polícia rodoviária estadual (PRE) de Uruaçu à delegacia da polícia civil em Niquelândia, a informação inicial atestava que Devair e Américo deslocavam-se numa motocicleta quando envolveram-se num acidente com um carro.

O condutor do veículo – Agamenon Vieira dos Santos, de 58 anos – evadiu-se do local e fora localizado algum tempo depois em sua residência na região central do município, por conta da numeração da placa do seu veículo que ficou caída no local do acidente.

Nessa hora, Agamenon recebeu voz de prisão dos policiais rodoviários estaduais e foi encaminhado ao hospital municipal santa efigênia onde confirmou que tinha ingerido bebida alcóolica, diante do médico-plantonista.

Na polícia civil de Niquelândia, a pre submeteu o dono do carro ao teste do etilômetro que constatou taxa de embriaguez ao volante de 0,53mg/l. assim sendo, o carro foi guinchado e a CNH devidamente apreendida.

o delegado sandro leal costa e a polícia técnico-científica de Uruaçu esteve no local do acidente no início da go-237 e os levantamentos preliminares mostraram-se inconclusivos sobre a culpabilidade de Agamenon com as mortes de Devair e de Américo.

“A ocorrência nos foi apresentada, inicialmente, como sendo um homicídio culposo na direção de veículo automotor com duas vítimas fatais. porém, para a perícia, não ficou claro se a causa das mortes foi, de fato, a conduta do motorista do veículo uma vez que é possível que os dois ocupantes da moto tivessem batido, antes, em algo – um cavalo, possivelmente – e, dessa forma, caído sobre a pista. pelas avarias que foram constatadas no veículo, foi possível notar que esses danos ocorreram somente na parte de baixo do mesmo. a passageira do carro nos disse que a sensação foi de ter pulado um quebra-molas”, detalhou o delegado sandro leal, em áudio enviado ao portal excelência notícias na manhã deste domingo/23.

Todavia, ainda que as mortes do motociclista [Devair, possivelmente] e do garupa [Américo] tenham sido provocadas por um atropelamento e não por uma colisão direta entre o carro de Agamenon e a motocicleta das duas vítimas fatais, o motorista do veículo foi autuado em flagrante por embriaguez ao volante e por afastar-se do local do acidente para evitar sua responsabilização criminal, de acordo com o delegado.

“O crime de omissão de socorro não foi imputado ao motorista do carro, uma vez que eles apresentaram comprovação de que haviam ligado para o telefone 193 do corpo de bombeiros no exato momento em que ocorreu o acidente”, completou Sandro Leal. a autoridade policial disse, ainda, que a PC aguardará o laudo definitivo da polícia técnico-científica de Uruaçu, que determinará as reais causas do acidente. dada essas circunstâncias, o delegado arbitrou fiança de r$ 10 mil que foi paga por Agamenon para responder ao processo em liberdade, situação que é comum em crimes de trânsito de natureza culposa, ou seja, quando não há intenção de matar.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui