Rebanho bovino goiano bate novo recorde e chega a 24,4 milhões de cabeças

276
Foto: Wenderson Araújo/CNA

O rebanho bovino goiano cresceu pelo quarto ano consecutivo e chegou a 24,4 milhões de cabeças em 2022. O quantitativo é o maior da série histórica iniciada em 1974 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que divulgou nesta quinta-feira (21/09) a sua Pesquisa Pecuária Municipal (PPM 2022).

O levantamento mostra que, no ano passado, o efetivo goiano aumentou 0,5% em relação ao ano anterior, respondendo por 10,4% do efetivo nacional. Com o resultado, Goiás ficou na terceira posição do ranking nacional de estados com maiores rebanhos bovinos.

Segundo o IBGE, o destaque goiano em bovinos foi Nova Crixás. Em 2022, o rebanho nova-crixaense aumentou 2,2% em relação ao ano anterior e atingiu 849.529 cabeças, mantendo-se na 12° posição do ranking nacional de municípios. São Miguel do Araguaia registrou o segundo maior rebanho entre os municípios goianos, com 660.056 cabeças. O Top 10 do ranking goiano foi completado por: Porangatu (508.765), Caiapônia (450.000), Mineiros (380.000), Jussara (376.833), Goiás (339.279), Jataí (335.000), Crixás (334.000) e Aruanã (330.250).

“O crescimento da bovinocultura goiana pelo quarto ano consecutivo mostra a força e a resiliência de um segmento que é fundamental para a nossa economia. O criador goiano segue firme na lida, produzindo com quantidade e qualidade, superando os desafios, exportando e trazendo divisas e abastecendo o mercado interno”, elogia o secretário estadual de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Pedro Leonardo Rezende.

O Governo de Goiás apoia a atividade por meio de órgãos como a Seapa, a Agrodefesa e a Emater. “Vale destacar, inclusive, o grande trabalho da Agrodefesa, em parceria com entidades e produtores, para tornar o estado zona livre de aftosa sem vacinação. É uma enorme responsabilidade cuidar deste rebanho cada vez maior. Vamos seguir trabalhando em conjunto com todo o setor para manter a sanidade do nosso rebanho, aumentar sempre mais a qualidade genética dos nossos animais e garantir alimento para todos”, completa o titular da Seapa.

Bubalinos e equinos
Ainda no grupo de animais de grande porte, Goiás fechou o ano passado com 20.441 bubalinos e 395.288 equinos. Em relação a 2021, houve recuo no efetivo total de bubalinos (-2,2%) e expansão do quantitativo de equinos (0,4%). Crixás apresentou o maior número de bubalinos entre os municípios goianos (960). Já Nova Crixás se destacou em número de equinos (9.800).

Leite
A PPM 2022 trouxe uma boa notícia para Orizona. Referência no segmento, o município da Região Sul de Goiás registrou aumento da produção de leite no ano passado (+6,2% em relação a 2021), totalizando 123 milhões de litros. O resultado fez com que Orizona subisse duas posições no ranking de maiores produtores municipais brasileiros e passasse a ocupar a sétima posição. Jataí e Piracanjuba apareceram na 18ª e 21ª posições, respectivamente. Em 2022, o estado de Goiás se manteve na quinta posição no ranking de unidades federativas, com 3 bilhões de litros (-3,9% em relação a 2021).

Saiba mais
A Pesquisa Pecuária Municipal (PPM) disponibiliza informações sobre rebanhos e produtos da pecuária brasileira. A periodicidade é anual, trazendo os dados consolidados do ano anterior ao da divulgação. É um dos poucos, e certamente dos mais importantes, levantamentos publicados no Brasil que permitem acompanhar o desempenho da produção agropecuária em escala municipal. No site do IBGE é possível filtrar dados para Brasil, grandes regiões, unidades federativas, mesorregiões e microrregiões.

Fonte: Seapa

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui