Único suspeito do desaparecimento de Vanessa, o esposo Miguel Fraga, está foragido

Miguel Bento Fraga Filho fugiu depois de pagar fiança posse irregular de munições e arma de fogo e se tornar o único suspeito do desaparecimento da mulher, Vanessa.

4305

O único suspeito do desaparecimento da própria esposa, a vendedora Vanessa Rodrigues da Silva, de 31 anos, está foragido desde a última terça-feira (17) quando sua prisão foi decretada. Já a última notícia de Vanessa foi na noite de quinta-feira (12), quando vizinhos afirmaram ter ouvido uma discussão entre o casal.

O casal e dois filhos de 03 e 11 anos moravam no setor Santa Luzia em Porangatu, norte de Goiás. Eles viviam juntos há aproximadamente 15 anos e o relacionamento era conturbado pelo ciúmes de Miguel Bento Fraga Filho. Segundo os familiares, mesmo morando na mesma casa, o casal dormia em quartos diferentes e que Miguel era agressivo e já teria ameaçado e agredido Vanessa em outras situações.

A irmão de Vanessa, Genilva Rodrigues da Silva, informou que no domingo (15) tentou falar com ela e não conseguiu. Ela então procurou Miguel, porém o mesmo só respondeu no dia seguinte (segunda, 16), informando que a esposa teria viajado há uma semana sem informar para onde iria e deixando os dois filhos com ele.

Estranhando a situação, ela foi até a casa de Vanessa e encontrou a porta aberta, os vizinhos na porta e os sobrinhos sozinhos na casa. Ela constatou que os pertences da irmã estavam na casa e os vizinhos teriam informado que no dia da discussão eles acionaram a polícia que foi ao local e depois de conversar com Vanessa foram embora. Desde então ela não foi mais vista.

Genilva registrou o desaparecimento na segunda, 18, e o delegado municipal da Delegacia da Mulher de Porangatu, Luciano Santos e naquela tarde, os agentes saíram em diligências no intuito de encontrar informações que levassem ao paradeiro de Vanessa.

Ao vistoriar a casa do casal e a fazenda entre os municípios de Novo Planalto e Araguaçu, na divisa de Goiás com o Tocantins, a polícia encontrou diversas munições dos calibres 22 e 36. Na fazenda foi localizada uma arma de fogo do tipo espingarda, do calibre .36, e ainda outras diversas munições dos calibres 36 e 32.

Diante dos fatos, o Miguel foi encaminhado à delegacia, onde foi autuado em flagrante delito pelo crime de posse irregular de munições e arma de fogo, previsto no Art. 12, da Lei n° 10.826/2003 (Estatuto do Desarmamento). Por se tratar de crime afiançável, foi estipulado um alto custo que foi pago por ele, sendo liberado em seguida, conforme determina a Lei.

Após oitivas, o delegado responsável pelo caso solicitou a prisão temporária de Miguel, mas ele fugiu. A equipe do Núcleo da Polícia Técnico Científica (NPTC) também foi acionada e colheu vestígios na fazenda, na residência e nos veículos de Vanessa e de Miguel, inclusive utilizando um reagente específico chamado Blue Star que consegue mostrar o lugar onde teria sangue humano, mesmo se o local tiver sido lavado.

Com o apoio da Polícia Militar e dos bombeiros também foram realizadas buscas na manhã de hoje, sexta-feira (20), nas propriedades do casal. Também será utilizado o apoio de cães farejadores.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui